A beleza dos braços na dança

A beleza dos braços na dança

Espaço Ballet Carmem - arabesque

Uma das coisas mais bonitas na dança, é observar a forma que os braços se encaixam no movimento, transformando-o em uma moldura, dando fluidez, sentimento e expressando toda a sua coreografia.

Independente de qual modalidade o bailarino dance, o domínio do braço é algo complicado e requer tempo e dedicação. A principal dificuldade encontrada é não saber dissociar as diferentes partes do corpo. Por exemplo: elevar os braços, mantendo o ombro abaixado.

E qual é o segredo?

O segredo está na utilização das escapulas (se você movimentar a escapula para baixo e para fora, a suas costas darão uma sensação maior de amplitude ao movimento), são elas que ligam os músculos do ombro e do braço. Permitindo mover os braços com total liberdade e independência, sem a necessidade de os ombros subirem ou descerem conforme o movimento.

Escapula

A colocação dos braços é a marca de um movimento, e é importante pensar que toda a musculatura está ativa o tempo todo, tendo tônus para realizar o movimento de sustentação e direção. Toda essa estrutura muscular que se conecta com a coluna, melhora a coordenação, a sustentação e o equilíbrio.

Por mais simples ou complexo que o movimento seja, se o braço estiver colocado de forma correta e com a mínima tensão, a dança passa a ser completa, repercutindo uma beleza artística e emocional, mostrando toda a sua beleza, leveza e harmonia.

Aos olhos de quem está assistindo, a impressão é a de que o braço se torna a moldura de um movimento, respirando toda a sua melodia e emocionando o público.

Assista a variação “The Queen of the Dryads” do Don Quixote interpretada pela Bailarina Julia Stepanova:

Nunca deixe de treinar, sempre tem algo de novo para acrescentar e descobrir no movimento. Pratique, pratique e pratique, e observe o quanto a sua dança enriquecerá.

Qualquer dúvida, nos escreva. Será um prazer ajuda-lo.


Adicionar Comentário

0 Comentários

Deixe o seu comentário!